sábado, 26 de março de 2011

O guardador de rebanhos

O essencial é saber ver,
Saber ver sem pensar;
Saber ver quando se vê,
E nem pensar quando se vê,
Nem ver quando se pensa.

Mas isso (triste de nós que trazemos a alma vestida!),
Isso exige um estudo profundo,
Uma aprendizagem de
desaprender.


Alberto Caeiro

video

terça-feira, 15 de março de 2011

Estou hospedando um bode

Final da tarde de segunda-feira, 14 de março de 2011. Últimos movimentos para o TrAÇÃO receber queridos amigos e professores para um bate-papo na Galeria Cândido Portinari. No meio do caminho toca o celular. Uma voz aflita avisa que o encontro estava suspenso por falta de energia elétrica. Todo o campus do Maracanã, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, estava às escuras e sem previsão de restabelecimento de energia.

Fomos até lá de qualquer maneira pois tão encima da hora assim, seria impossível avisar a todos os convidados sobre o ocorrido. Logo agora, depois de tanto trabalho, quando finalmente a Nena conseguiu um espaço na mídia para divulgar a exposição e seu encerramento, e com a presença de Malu Fatorelli e Roberto Corrêa dos Santos, dispostos a nos prestigiar com o  brilho de suas inteligências.

Para o TrAÇÃO ficou a frustração de ver tanto esforço desperdiçado. Parecíamos saídas de um experimento entrópico onde enorme energia é consumida para nada.

Ficaram ainda algumas perguntas a povoar meus pensamentos:
Para os estudantes que retornavam de férias; ficou o quê?
Será que existem geradores suficientes para minimizar os riscos que um incidente como esse pode causar às pesquisas em laboratórios mergulhados na escuridão?

Hoje soube que o problema aconteceu na subestação da Light em Triagem, bairro da zona norte, onde dois cabos de transmissão se romperam, e que não há previsão para a normalização do serviço, portanto os alunos seguem sem aulas.
Segundo notícia online¹ sobre o ocorrido, segue o clássico empurra-empurra sobre a apuração dos responsáveis; se a concessionária ou a prefeitura.

Fica aqui registrado meu repúdio à falta de competência que grassa nos serviços prestados à população e o lamento pela falta de mobilização que conforma os cariocas.